Na TAP o vermelho é um pouco mais rosa

Vale a pena ler a frase com que o Público abre a notícia:

A TAP registou um resultado líquido negativo de 111 milhões de euros no primeiro semestre, uma ligeira melhoria face às perdas de 112 milhões do período homólogo, mantendo a expectativa de obter lucros no final do ano.

Magnífico. Uma “ligeira melhoria”. Esperemos por mais.

 

Havia aquela história picanto-degradente da prostituta que chega a casa e diz ao chulo: “este ano corre melhor. Em vez de 36 doenças venéreas, só tive 35.”

 

Deus diz ao papa “demite-te” mas recusa falar com Passos

Parece que a linha direta deus-papa continua ativa. Diz o Ratzinger que mais ou menos teve uma “revelação divina” para deixar de ser papa. É como falar com deus, mas sem falar.

Será que esse deus não vem também falar com os governantes portugueses e lhes diz “limpem isso tudo, corram com os corruptos e os mamões”? Esse é que era um deus à séria! Mas também não consta que o tenha feito pelo Vaticano… o mandato era para a mudança de trono, não para outro “mãos limpas”.

Respira-se de alívio na banca vaticana, no palácio de são bento, e chora de dor mais do que um mordomo…

Governo volta atrás: com o dinheiro do BPN abre 1000 cinematecas.

Diz o Público que não há dinheiro e a Cinemateca pode fechar.

Que humilhante.

Um país que gasta milhares de milhões para abafar o caso escandaloso do BPN, que continua a pagar às concessionárias das PPP milhares de milhões, e não tem dinheiro para suportar a cultura mais simples, é um país falido. Mas falido no sentido de: rapinado. Violentado por uma cambada de ladrões que merecem ser todos presos e esquecidos. O cinema, a cultura, não merecem ser esquecidos: merecem ser lembrados. Sonho com uma revolução: “a revolução da cinemateca”. O povo finalmente sai à rua e exige a justiça, depõe os criminosos, acaba com as trafulhices, restaura a liberdade. Mas isto é aceitável? E não vos revolta, a todos? O Sr Fenchurch não percebe porque a cinemateca mantém as portas abertas? E percebe porque é que os que são ricos pelo BPN estão à solta? Quantas cinematecas aquilo vale?

 

Fala-se no artigo de 400 mil euros? Será que dá para fazer um crowdfunding?